História

Conceição das Crioulas é uma comunidade quilombola localizada no Sertão central do município de Salgueiro, a aproximadamente 550 km do Recife, capital de Pernambuco, conhecida no Brasil por seu histórico de luta pelo território, pela beleza e qualidade do seu artesanato.

Contam os mais velhos que o Quilombo teve origem no início do século XVIII, com a chegada de seis negras à região guiadas por Francisco José, um escravo rebelado. Inicialmente arrendaram uma área de três léguas em quadra e, aos poucos, foram adquirindo a terra graças ao trabalho artesanal na produção e fiação do algodão. Parte da terra comprada foi doada para a construção de uma capela em que foi colocada a imagem de Nossa Senhora da Conceição. Francisco José havia levado a santa consigo na viagem de fuga. A comunidade passou a se chamar Conceição das Crioulas em homenagem à santa.

O trabalho artesanal é uma herança histórica, de tradição feminina associada aos processos de resistência e luta. Em Conceição das Crioulas o barro, o caroá, o catolezeiro, a madeira e a linha de algodão são transformados em saber artesanal, que gera renda, mas também é uma atividade educativa que envolve crianças, jovens e adultos. Com o barro trabalham na confecção de objetos utilitários e funcionais, como panelas, pratos, copos, pote e na criação estética de brincos e colares. Com a palha do catolé e a fibra do caroá confeccionam diversos produtos como bolsas e flores. Destaque para as bonecas feitas do caroá, que remetem às histórias de origem da comunidade. Com a madeira, são produzidas colheres de pau e cabides inspirados nos usos tradicionais das populações rurais sertanejas. Nas mãos habilidosas das mulheres da comunidade passam ainda os fios de algodão coloridos pela história, presentes nos bordados aplicados em produtos têxteis que desvelam a territorialidade do quilombo.

AQCC

Conceição das Crioulas é uma comunidade quilombola localizada no Sertão central do município de Salgueiro, a aproximadamente 550 km do Recife, capital de Pernambuco, conhecida no Brasil por seu histórico de luta pelo território, pela beleza e qualidade do seu artesanato.

Contam os mais velhos que o Quilombo teve origem no início do século XVIII, com a chegada de seis negras à região guiadas por Francisco José, um escravo rebelado. Inicialmente arrendaram uma área de três léguas em quadra e, aos poucos, foram adquirindo a terra graças ao trabalho artesanal na produção e fiação do algodão. Parte da terra comprada foi doada para a construção de uma capela em que foi colocada a imagem de Nossa Senhora da Conceição. Francisco José havia levado a santa consigo na viagem de fuga. A comunidade passou a se chamar Conceição das Crioulas em homenagem à santa.

O trabalho artesanal é uma herança histórica, de tradição feminina associada aos processos de resistência e luta. Em Conceição das Crioulas o barro, o caroá, o catolezeiro, a madeira e a linha de algodão são transformados em saber artesanal, que gera renda, mas também é uma atividade educativa que envolve crianças, jovens e adultos. Com o barro trabalham na confecção de objetos utilitários e funcionais, como panelas, pratos, copos, pote e na criação estética de brincos e colares. Com a palha do catolé e a fibra do caroá confeccionam diversos produtos como bolsas e flores. Destaque para as bonecas feitas do caroá, que remetem às histórias de origem da comunidade. Com a madeira, são produzidas colheres de pau e cabides inspirados nos usos tradicionais das populações rurais sertanejas. Nas mãos habilidosas das mulheres da comunidade passam ainda os fios de algodão coloridos pela história, presentes nos bordados aplicados em produtos têxteis que desvelam a territorialidade do quilombo.

Organização

A Associação Quilombola de Conceição das Crioulas (AQCC) tem como missão promover o desenvolvimento de Conceição das Crioulas, fortalecendo a organização política, a identidade étnica e cultural, e a luta pela causa quilombola. Foi fundada em 17 de julho de 2000, quando lideranças de Conceição das Crioulas sentiram a necessidade de criar uma Associação que representasse a comunidade juridicamente, a fim de gerenciar o território, bem como encaminhar questões de interesse comum.

Comissões Temáticas

Criadas em 2002, as Comissões Temáticas surgem com o propósito de descentralizar as ações e fazer com que cada núcleo temático formado pudesse se responsabilizar por demandas específicas.

- Comissão de Educação / responsável por

• Desenvolver propostas de educação específica, diferenciada e intercultural para as comunidades quilombolas e lutar por uma legislação própria.

• Desenvolver estudos e pesquisas que divulguem a causa quilombola, valorizem a memória histórica de Conceição das Crioulas e subsidiem práticas educativas e pedagógicas para as comunidades quilombolas.

Formada por Márcia Nascimento, Zélia Oliveira, Penha Silva, Fabiana Vencezlau, Diva Silva e Maria de Lourdes Silva.

- Comissão de Patrimômio / responsável por

• Cuidar e preservar do patrimônio material e imaterial como forma de fortalecer a identidade do povo quilombola.

• Defender o território quilombola, cujo espaço físico exerce o seu modo de viver, fazer e criar.

Formada por João Alfredo, André Negão, José Bartolomeu (Deca), José Augusto, Valdeci.

- Comissão de Geração de Renda / responsável por

• Desenvolver ações ligadas à melhoria de geração de renda.

Formada por Lourdes da Silva, Evânia Oliveira, Maria dos Santos.

- Comissão de Saúde e Meio Ambiente / responsável por

• Preservar o meio ambiente e a convivência harmoniosa com a natureza.

Formada por Bernardina Oliveira, Maria Antônia da Silva, Maria Alzira.

- Comissão de Comunicação / responsável por

• Valorizar e divulgar a história de lutas de Conceição das Crioulas pela versão das(os) próprios(as) protagonistas.

• Utilizar a comunicação como instrumento de integração da comunidade e de luta pelos direitos quilombolas.

Formada por Adalmir Silva, Fabiana Vencezlau, Jocilene Oliveira, Jocicleide Oliveira.

- Comissão de Mulheres / responsável por

• Promover a equidade das relações de gênero, bem como a organização de mulheres quilombolas.

Formada por Rozeane Mendes, Valdeci Silva

- Comissão de Juventude / responsável por

• Promover a organização da juventude quilombola, bem como os direitos das crianças, adolescentes e idosos.

• Incentivar e promover os diferentes modos de lazer e esporte para crianças, adolescentes, adultos e idosos da Comunidade de Conceição das Crioulas.

Formada por Adalmir Silva, Amando Oliveira, Fabiana Vencezlau

Artes da Comunidade

Notícias

A troca de sabores e de aromas entre representantes de Portugal, Cabo Verde e várias cidades do Brasil alegrou os sentidos de quem esteve na Casa da Comunidade, em Conceição das Crioulas, no segundo dia (16) do Encontro.

Mais de 200 pessoas circularam pelas atividades do Encontro com as Artes, a Luta, os Saberes e os Sabores, realizado na Comunidade Quilombola de Conceição das Crioulas, localizada no município de Salgueiro, Sertão de Pernambuco.

Com apresentações de tese e dissertações e o lançamento de um livro, se encerra hoje (21) para os visitantes o evento Encontro com as Artes, a Luta, os Saberes e os Sabores da Comunidade Quilombola de Conceição das Crioulas.

O protagonismo das mulheres de Conceição das Crioulas também se manifesta nos esportes: a equipe feminina de futebol da comunidade é uma das melhores do Sertão e virou tema de filme realizado pelos alunos que participaram da oficina

Contato